A+ | A-

Pessoas Extraordinárias

Andréa é educadora  e sócia da Consultoria Gesthus, empresa especializada em Gestão Humana e Social, que apóia organizações públicas, privadas e do terceiro setor na tratativa de temas relacionados à responsabilidade social e sustentabilidade. Atuou em grandes empresas, nacionais e multinacionais, nos diferentes processos de RH e responsabilidade.

“Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, mas não vai só, nem nos deixa sós; leva um pouco de nós mesmos, deixa um pouco de si mesmo.” (Antoine Saint-Exupéry)

Era para ser mais uma hora de almoço normal, em um dia de trabalho normal… Mas ao descer do escritório e sair na Av. Rio Branco, Cinelândia, no Centro do Rio de Janeiro, o filme em cartaz no Cine Odeon era o documentário, indicado ao Oscar, “Lixo Extraordinário”; bastou esse “convite” para abrir mão do almoço e ir curtir uma pipoca no escurinho do cinema às 13h… 94 minutos depois, saio à luz do sol, que brilhava na cidade, emocionada e feliz com a minha opção. Espero que cada um de vocês que está lendo agora, se ainda não foi assistir, que vá rápido, antes que saia do circuito (bem restrito).

O projeto do filme retrata o envolvimento do artista plástico Vik Muniz, o brasileiro que mais vende obras no exterior, com os catadores do Jardim Gramacho, em Duque de Caxias, o maior aterro sanitário do mundo. Em meio ao lixo, a fim de fotografar um grupo de catadores, o artista entra em contato com suas histórias de vida, sonhos, aspirações, aflições, superações – tudo junto e misturado.

Fiquei pensando sobre uma cena em que o Vik mostra como as pessoas que vão aos museus fazem para observar as obras de arte; ora se aproximam, ora se afastam… De longe têm uma perspectiva no todo, mas de perto é que entram em contato com os detalhes, com as minúcias, com os sentimentos… É de perto que os retratados veem cada material que eles mesmos recolheram e colocaram nas fotografias, lhes dando uma nova dimensão. Orgulho puro!

O trabalho final é magnífico, mas sem dúvida, tem um significado maior pelo relacionamento que se estabeleceu entre o artista e os catadores – que foram escolhidos, não apenas por suas imagens, mas principalmente por suas histórias de vida, que dão vida ao trabalho. Dignidade e respeito!

Um dos personagens do filme foi Sebastião Santos, o presidente da Associação dos catadores do aterro Metropolitano do Jardim Gramacho. No ano passado, no Rio de Janeiro, Tião participou do III Fórum de Comunicação e Sustentabilidade e, em meio aos mais renomados palestrantes, se destacou por sua simplicidade em falar sobre integridade ecológica e soluções relacionadas à geração de lixo e seu destino. Naquela ocasião, falou sobre a responsabilidade da sustentabilidade, “uma vez que os índices de reciclagem são alcançados por questões financeiras e não por educação”. Conhecimento e coragem!

De todas as pessoas retratadas, quem mais me chamou a atenção foi Zumbi, um catador com um sonho de criar uma biblioteca com os livros garimpados no aterro. Eu, que amo os livros, me emocionei quando um determinado momento do documentário mostra que ele conseguiu… Persistência e resiliência!

Tem muito mais exemplos no filme. Vale ver, debater, levar para sala de aula, para grupos de RH…

Mas, se a gente prestar mais atenção, vai ver “pessoas extraordinárias” em todos os lugares: no ônibus, no supermercado, na rua, na praia, em casas de família… Não são todos, mas há muitos Homens e mulheres humildes e, ainda assim, orgulhosos do seu trabalho digno e com os quais se pode aprender um pouco mais para encarar a vida corporativa por um outro prisma. Trabalhadores invisíveis, em meio a uma rotina cruel, com histórias de vida tão surpreendentes quanto as do filme, repletas de desespero e sonhos.

Eu, graças a Deus, tenho encontrado “pessoas extraordinárias” nos meus trabalhos com gestão social. Pessoas que “tiram leite de pedra” para transpor barreiras, com uma enorme vontade de crescer e fazer o melhor por si e por outros. Um delas, particularmente me chamou muito a atenção… Em uma cooperativa de costureiras, em Santa Cruz, ouvi a história da Camila, que desenha roupas lendo livros de literatura (olha eles aí de novo!), doados à organização. É lendo os antigos e gastos exemplares de Machado, Clarice, Mario e tantos outros que ela transforma letras, prosas e poesias em lindos bordados e criou uma coleção inteira inspiradas na FLIP. E diz: “não é porque a gente é pobre que não gosta de ler!”. Além disso, capacita outra mulheres, compartilhando o que sabe. Camila tem um sonho: estudar Moda no SENAI/CETIQ… Alguém duvida que ela vai conseguir?

PS: A entrega do Oscar será domingo, dia 27 de fevereiro. Vale a pena ficar na torcida!

Andrea Maurício

Sócia da Consultoria Gesthus Gestão Humana e Social

andrea.mauricio@gesthus.com.br

(21) 3021-2700

Print Friendly
Facebook Twitter Plusone Linkedin Email
Comentários
to “Pessoas Extraordinárias”
  1. Amei!! Estou doida para ver o filme. Indo na mesma linha estou lançando o meu programa de TV, por enquanto veiculado na internet, o RECONEXÃO. A proposta é uitlizar este meio incrível para alcançar milhares de pessoas que têm potencial, acreditam em si, mas precisam de uma forcinha a mais para dar o primeiro passo. Vamos mostrar, através de entrevistas, as diversas e milhares de possibilidades e ferramentas disponíveis para se alcançar uma vida mais plena e feliz, por meio do autoconhecimento, saúde e sustentabilidade. Acompanhe a gente!! Quem sabe unimos forças para fazer deste planeta um lugar melhor para viver.

    Acompanhe o Recoenxão, no primeiro programa entrevistamos Renato Prieto o ator principal do filme “Nosso Lar”. http://www.canalproview.com.br/canal.php?canal=Reconexao

    Parabéns pelo artigo, pela percepção e por compartilhar a sua opinião.
    Beijos
    Deborah Leitte

    • Andrea disse:

      Olá, Deborah! Obrigada pelo carinho e parabéns por sua iniciativa. Quanto mais pudermos falar sobre assuntos que façam as pessoas refletirem, quebrarem paradigmas e vencerem o preconceito, melhores se tornarão.
      Um grande abraço e sucesso!
      Andréa

    • Andrea disse:

      Olá, Nádia!
      Muito obrigada por sua visita; me fez muito feliz, principalmente por considerá-la uma grande especialista no tema e com uma escrita fantástica.
      Um forte e fraterno abraço,

      Andréa

  2. Ahnis Fraga disse:

    Ahhh… Você esse olhar que, assim como Vik e sua lente, consegue nos condizir em direção ao nosso mais intimo e secreto e descobrir nossa real vocação!

    Parabéns pelo post!
    Grande beijo!

    • Andrea disse:

      Ahnis, querida! Você, tal e qual as pessoas retratadas, tem luz própria… Muito obrigada pelo carinho!
      Beijinhos e saudades,

      Andréa

  3. Rô Lopes disse:

    Andrea, obrigada por compartilhar comigo este lindo texto.
    Com certeza. no mundo existem pessoas extraordinárias que fazem a dirença. Parabéns pela post.

    bjs,

    • Andrea disse:

      É verdade, Rô! Muitas das quais tive a oportunidade de conhecer ao longo dessa jornada na área social… Não me esqueço do Redescobrindo as Letras, trabalho do Ressurgir com as mulheres das famílias atendidas,a fim de aumentar vocabulário e consciência social, por meio de letras de música do Gonzaguinha, Chico, Milton… Excelente trabalho!
      Um forte e fraterno abraço,

      Andréa

  4. Cláudia Scott disse:

    No último dia 18 de dezembro visitei o lixão de Gramacho com um grupo que levou brinquedos, roupas, LIVROS… Sabe qual a primeira coisa, que escutei de uma criança, ao ver um dos homens do grupo, que foi vestido de Papai Noel?

    “Papai Noel! Sonhei com isso! Eu não acredito! Você veio até aqui!”

    Livros fazem sonhar e sonhos podem sim fazer as coisas acontecer!

    Parabéns pela sensibilidade!

    Beijo grande,

    Cláudia Scott

    • Andrea disse:

      Oi, Scott! Que emoção deve ter sido!!! Penso que a leitura além de estimular a imaginação, a criatividade, nos leva para uma “universo paralelo”, em que é possível transformar sonhos em realidade, como o desse menino. Obrigada pelo carinho e por compartilhar essa história.
      Beijinhos e saudades,

      Andréa

  5. Leandro Teixeira disse:

    Dez, Andréa! Muito sensível e profunda sua leitura do que já era extraordinário. Prova de que sempre é possível extrair mais e mais dos fatos; bastam olhos mais atentos e desejosos de transformação. Aliás, transformação é ponto de partida para tantas realidades e sonhos sucateados pela NOSSA indiferença histórica. E quanto mais cedo agimos, menos estragos a ferrugem pode causar; ou destruir irreparavelmente os sonhos de pessoas extraordinárias. Parabéns pelo texto!

    • Andrea disse:

      Leandro, querido! Concordo em gênero, número e grau com as suas palavras. Há muito, muito há ser feito, principalmente na questão do lixo, do desperdício. Não há mais espaço para “isso não é comigo!” Em 2012, o Aterro de Jardim Gramacho vai ser desativado… O que será dessas pessoas e o que está sendo pensado para o descarte correto das toneladas e toneladas de lixo produzidas? Bem, acho que isso dá um outro post…
      Obrigada por compartilhar suas impressões conosco.
      Um forte e frtaerno abraço,

      Andréa

  6. Luciene Quélhas disse:

    Andréa,
    Você é uma pessoa extraordinária! Parabéns pelo texto e por seu trabalho!

    • Andrea disse:

      Lu, querida!
      Agradeço por sua visita e por seu carinho. Os amigos que angariei pela vida me ajudaram , e muito, a ser uma pessoa melhor, mesmo que não tenham consciência disso… Muito obrigada por fazer parte da minha história!
      Beijinhos e saudades,

      Andréa

  7. Renata Freire disse:

    Andrea,
    Tambem vi o filme e posso afirmar que não se sai da sala de cinema sem ter feito reflexões sobre valores, sonhos, o que realmente é importante e o que achamos ser importante.
    Confeço que recem vinda de um sabático de seis meses ao ver o filme também me trouxe sentimentos como indignaçao, mas isso é uma longa estoria e fica pra outra vez….Na verdade só quero mesmo lhe parabelizar por extraordinário texto e como ele traz nossos melhores sentimentos ao longo da leitura.
    Escreva mais vez (sem compromisso) e se puder publique, vou adorar acompanhar seus textos que terao sempre sua marca: “sensibilidade”

    Beijos.

    Renata Freire

    • Andrea disse:

      Olá, Renata! São muitas as emoções e sentimentos diante da situação em que essas pessoas vivem o seu dia a dia e, não obstante, não desistem de buscar por algo melhor. Tá tudo junto e misturado… Afinal, como dizia o Walter (o vice-presidente da Associação, falecido ao longo das filmagens): 99 não são 100!
      Obrigada pelo carinho e pelo incentivo.
      Um forte e fraterno abraço,

      Andréa

  8. Marta Gomes disse:

    Andrea, pessoas sensíveis e extraordinarias se reconhecem pelas atitudes. Daí sua emoção ao encontrar seus pares. Lindo texto!

    • Andrea disse:

      Olá, Marta! Obrigada pelo carinho. Fico feliz de ter podido transmitir toda a minha emoção diante das imagens, histórias e pessoas. Acredito que é com esse (re) conhecimento que a gente cresce; seja por amor ou dor.
      Um forte e fraterno abarço,

      Andréa

  9. Andrea,

    Belíssimo texto!
    Com a sensibilbidade que pessoas extraordinárias como você têm de sobra e, com toda generosidade, compartilham com a gente!

    Beijos e parabéns!

    Iracema Medeiros

    • Andrea disse:

      Ira, querida! Tenho tido bons exemplos de minhas amigas blogueiras: as titulares do Salada, Claudia e Jô e você na Escola do Servir.
      Obrigada pelo carinho, aliás, de sempre!
      Beijnhos e saudades,

      Andréa

  10. Sonia Gerhardt disse:

    obrigada por compartilhar suas reflexões=] foi um ótimo convite à proxima sessão!
    bj

    • Andrea disse:

      Soninha!!! Você é daquelas pessoas da frase do Saint-Exupery que passam por nossas vidas, deixando muito para quem tem a oportunidade de encontrá-las. Obrigada pelo carinho e muitas, muitas saudades!!!
      Beijinhos,

      Andréa

  11. Fornari disse:

    Andrea acompanhei alguns de seus projetos e sei do tamanho do seu coração e seu sonho. vejo Voce com a vida perfeittamente alinhada o que te faz grande e generosa. grande beijo e grato pela sugestao. fornari

    • Andrea disse:

      Olá, Fornari! Obrigada pos suas carinhosas palavras e aproveito para daqui agradecer as oportunidades e confiança para desenvolver os projetos na ATL. Ali, foi o começo de uma história ligando (desculpe o trocadilho; foi sem quere) duas das coisas que mais gosto: pessoas e ações sociais.
      Um forte e fraterno abraço,

      Andréa

  12. Silvana disse:

    Andrea, que post lindo! Eu também fiquei encantada com o filme e principalmente com as pessoas de Jardim Gramacho. Pessoas extraordinárias, como você.
    Estarei hoje na torcida do Oscar.
    Beijos

    • Andrea disse:

      Oi, Sil! Sabe que quando estava assistindo lembrei de pessoas que adorariam o filme e uma delas era você. Coincidência? Acho que não… Acredito que esse seu trilhar pelo mundo acadêmico tem tudo a ver com compartilhar vivência, saberes e fazeres que tanto ajudarão as transformações e mudanças necessárias na visão dos jovens estudantes e futuros gestores.
      Obrigada pelo carinho!
      Tamo junto na torcida!!!
      Beijinhos,

      Andréa

  13. Aurea disse:

    Olá Andréa querida,
    seu texto é emocionante, envolvente e humano, como você! Me despertou sentimentos diversos, tive vários insights…Obrigada.
    Beijos,
    Aurea Celeste Picanço

    • Andrea disse:

      Olá, Áurea Celeste!
      Obrigada pelo comentário generoso e gentil. SE quiser trocar ideias, você já sabe que é só falar.
      Beijinhos e saudades.
      Andréa

  14. Paula Caputo disse:

    Amiga,

    Obrigada por compartilhar esta leitura conosco! É mais uma prova de que nunca devemos desistir dos nossos sonhos… Pessoas com tantas dificuldades foram persistentes, lutaram por seus objetivos e venceram! Vou tentar assistir antes que saia de cartaz… Adorei seu comentário! Um grande beijo, Paula Caputo

    • Andrea disse:

      Oi, Paulinha!
      Vá, sim; é um ótimo programa para uma de suas tardes de férias.
      Vale como uma retomada de impulso para novos projetos e desafios.
      Grande beijo.
      Andréa

  15. Carlos Henrique disse:

    Sem dúvida o que torna o mundo tão especial são as pessoas, cada uma tão diferente da outra, com idéias tão diversas, personalidades que fazem a nossa história de vida…

    Dentro de cada ser humano existe uma alma que pensa, sonha, cria e constroi o mundo de acordo com a sua visão e experiência de vida… Ainda que muitas vezes o resultado não seja o melhor, sem dúvida, nos leva a ver o mundo de maneira diversa a cada momento. Realmente é uma experiência extraordinária acompanhar as trajetórias criadas por cada pessoa para encontrar o seu espaço neste universo muitas vezes hostil. E mais extraordinário ainda encontrar alguem que consegue identificar aquelas pessoas que, com a sua criatividade e simplicidade, conseguem contribuir para tentar melhorar a vida ao seu redor…

    Parabéns pelo seu texto, me deixou com vontade de assistir o documentário.

    Beijos

    • Andrea disse:

      Charlie, meu amigo querido! Quanta verdade em seu comentário… Obrigada por compartilhar conosco e por fazer parte dessa trajetória de vida.
      Que possamos, juntos, de novo, escrever outras tantas histórias, sempre da melhor forma que pudermos.
      Um beijo grande,

      Andréa

  16. Cristina Gaudio disse:

    Andréa,
    Belíssimo texto! Como Levando Teixeira comentou, você ainda acrescentou sensibilidade a um filme excepcional. É verdade que não poderia ser diferente já que veio de você. Parabéns!! Por favor, continue brindando-nos com outras belas mensagens como esta.

    Grande beijo,
    Cris.

    • Andréa disse:

      Oi, Cris! Fico imensamente feliz de ter conseguido passar a minha mensagem e por ter recebido o retorno de pessoas sensibilizadas com a temática.
      Obrigada por compartilhar seu comentário e pelo incentivo; se o pessoal do “Salada” deixar, vou continuar dando minhas contribuições bissextas (rs!)
      Beijos,

      Andréa

  17. Ana Lemgruber disse:

    Andrea querida,
    muito lindo e sensível o seu texto.
    Eu vi o filme e saí absolutamente encantada, agradecendo a oportunidade em assistir à tanta dignidade, capacidade de luta, “resiliência” – como vc falou, tanta consciência ecológica, vindo de pessoas sobre as quais nem conhecimento eu tinha… Ali a gente encontra “Luxo Humano”, foi muito lindo! E fiquei especialmente feliz em ver o Vick Muniz oferecer o seu melhor, a sua arte, em prol de outros. Foi belíssima a transformação na vida de cada uma daquelas pessoas.
    Eu adorei as suas palavras e, como sempre, muito tocantes e capazes de perceber o outro. Parabéns!!

    • Andrea disse:

      Ana querida!
      Obrigada por suas palavras… Parece que estou de novo no escurinho do cinema, emocionada…Você tem toda razão quando diz que a transformação na vida de cada uma daquelas pessoas foi belíssima… Assim, penso que de fato é possível promover mudanças, basta que cada um ofereça o seu melhor.
      Obrigada pelas melhores oportunidades que você me ofereceu, sempre!
      Um grande beijo.

      Andréa

  18. ANA ABRANTES disse:

    Querida Andrea,

    Não vi ainda o filme (mas verei logo!), mas pude sentir toda a grandeza e importância deste trabalho brasileiro através do seu profundo e sensível texto. Conhecendo-a como conheço, não podia ser diferente; sua sensibilidade, emoção e energia são capazes, o tempo todo, de “ouvir o inaudível” e expressar o inexplicável. Sua beleza interior conseguiu ver a Beleza dos catadores de lixo, e seu coração emocionou-se com a vida dif’ícil e digna que todos eles vivem. Junto com você, meu coração também se emocionou e, por isso, lhe agradeço e correrei para ver o filme e sentir mais profundamente o que você sentiu.

    Obrigada por esta experiência que você acabou de me proporcionar. Vendo filmes como este e encontrando pessoas como você, a cada dia percebo que a humanidade está ganhando consciência da necessidade de nos unirmos e nos amarmos incondicionalmente, para que as diferenças possam ser dissolvidas e possamos evoluir como seres humanos.

    Um abraço em seu coração,

    Ana

  19. Andrea disse:

    Olá, Ana!
    Fico muito feliz por ter tocado o seu coração grandioso e genoroso, tanto quanto você tocou o meu com suas carinhosas palavras. Obrigada!
    É por você e por todas as pessoas que se emocionaram que eu acredito que esse mundo ainda é viável…
    Um beijo grande e saudades.

  20. Alberto Correia disse:

    Andrea! Que texto sensível e bonito! Texto de quem tem o coração realmente aberto ao outro….Parabéns!! Mil bjos

    • Andrea disse:

      Oi, Beto!

      Obrigada por seu comentário! Você não imagina como é bom ter essa receptividade positiva sobre um tema que ainda não é totalmente assimilado nas organizações.
      Parabéns pelos seu post! Tenho acompanhado as publicações e fico com gosto de “quero mais”!.
      Beijinhos e até breve.

  21. Margareth Monteiro disse:

    Andrea,
    Este resgate que a sociedade de uma forma geral vem fazendo na busca de reviver valores fundamentais mostra que mesmo ainda lento, se constata que não é possível viver sem a arte, pura e simples. E como disse Ferreira Gular ” A arte existe porque a vida não basta”.
    Parabéns pelo artigo.
    Bjs

    • Andrea disse:

      Olá, Margareth!

      Obrigada por seu comentário. São pessoas como você e as demais que me escreveram que vão fazer essa mudança tão necessária acontecer!
      Beijinhos,

      Andréa

  22. Antonio Linhares disse:

    Andréa,

    Lindo texto e que belo filme! Pena que não levou o Oscar, porém, com certeza está no Oscar dos nossos corações!
    Grande beijo! Saudades!

    Antonio

    • Andrea disse:

      Foi pena, Antonio!
      Pena também foi ter um circuito tão restrito e por pouco tempo…
      Obrigada por compartilhar seus sentimentos .
      Beijinhos e saudades.

      Andréa

  23. Glaucio Santoro disse:

    Andrea, também fiquei bastante impressionado com as histórias, imagens e “emoções” do filme. Ótimo post! Bjs

    • Andrea disse:

      Obrigada, Glaucio!
      Pessoas como você, que é super “do bem” fazem a diferença e podem ser consideradas “extraordinárias” também.
      Super beijo e obrigada por seu comentário.

      Andréa

  24. amanda disse:

    oiii ! só tenho 11 anos mas estou fazendo uma pesquisa de éticaa !! amei e me emocionei ao ler essa historiaa !! parabens pelo texto ! e obrigada pelaaa ajuda no trabalho !!
    beiijao pra vcs td de bom !!!!!!!
    q Deus abençoe vocess

    • Andréa disse:

      Olá, Amanda. Tudo bem?

      Fico feliz de ter podido colaborar com o seu trabalho e mais ainda por saber que aos 11 anos você já despertou para questões como ética e igualdade de oportunidades.

      Obrigada por seu comentário e volte sempre que quiser ao Blog “Salada Corporativa”.

      Forte e fraterno abraço,
      Andréa

Comentar

*

TV Salada

Wark, artista plástico da Rocinha, fala sobre participação na Cow Parade

Wark, artista plástico da Rocinha, fala sobre participação na Cow Parade

Acesse a TV Salada no YouTube: Entrevistas, Eventos e Dicas de Lazer como você nunca viu!