A+ | A-

56% dos profissionais que se desligam de uma empresa acabam voltando

Conquiste sua vaga de Trainee

Por Trabalhando.com

Em diversas ocasiões da nossa vida somos forçados a tomar decisões muito complicadas e que podem mudar completamente nosso futuro. Mudar de casa, terminar um relacionamento ou trocar de emprego, não importa qual seja a mudança, elas são sempre complicadas, mas nem sempre são definitivas. Muitas escolhas podem causar arrependimento e voltar atrás pode ser uma boa opção.

Foi assim com Steve Jobs que foi demitido da empresa em 1985 por desentendimentos com o então CEO John Sculey. Após deixar a empresa, Jobs criou a NeXT, outra corporação no mesmo segmento. Anos depois acabou vendendo o sistema operacional à Apple, colocando-o outra vez à frente da empresa em 1997.

Por incrível que pareça, casos parecidos como de Jobs e a Apple são mais comuns do que se imagina no mercado de trabalho. Para saber se isso realmente acontece com os profissionais brasileiros, a Trabalhando.com realizou uma pesquisa com mais de 800 pessoas – homens e mulheres – e o resultado aponta que 56% desses profissionais já saíram ou foram demitidos e acabaram retornando a mesma empresa. Entre eles, o motivo do retorno 42% foi por terem recebido um convite para voltar e 14% por terem se arrependido de sair. Dos 44% restantes, 37% nunca pediram ou foram convidados a voltar e 7% até tentaram retornar, mas não foram aceitos.

Para o diretor-geral da Trabalhando.com, Renato Grinberg, os números demonstram dois pontos: o primeiro é por parte das empresas, com o apagão da mão de obra, profissionais muito capacitados estão em escassez; o segundo é justamente pelo mercado de trabalho aquecido, o profissional se precipita ao tomar uma decisão e se arrepende. “Muitas vezes o profissional toma a decisão de deixar a empresa com a ilusão de que tudo será melhor na outra empresa, mas com o passar do tempo acaba descobrindo que não existe lugar perfeito. Por outro lado, algumas empresas demitem seus funcionários para contratar profissionais que custam menos e voltam atrás nessa decisão por não conseguirem encontrar outro tão capacitado. Muitas vezes, o barato sai caro”, afirma.

Para os que estão pensando em deixar o atual emprego ou então em voltar ao antigo, Grinberg dá algumas dicas:

  1. Se você está infeliz com o trabalho, analise bem o que tem causado esse aborrecimento, o motivo pode estar na sua vida pessoal e não na profissional;
  2. Estude o mercado. É essencial ver se as vagas disponíveis oferecem realmente melhores condições de trabalho que o atual emprego;
  3. Se decidir voltar ao antigo emprego é fundamental avaliar os pontos positivos e negativos.  Lembrar o que mais incomodava é muito importante, os problemas podem estar no mesmo lugar que você os deixou;
  4. Outro ponto importante e válido para os dois casos: reflita sobre o que te deixa infeliz, pode ser que a culpa não seja da empresa ou do emprego, mas sim da natureza, da área ou indústria em que você está trabalhando. Talvez o momento seja para refletir se não é hora de fazer uma mudança mais radical, não de empresa, mas sim de carreira.

 

Print Friendly
Facebook Twitter Plusone Linkedin Email
Comentários
to “56% dos profissionais que se desligam de uma empresa acabam voltando”
  1. Boas dicas! É preciso pensar bem antes da tomada de decisão.
    bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

Comentar

*