Gestão Empresarial : SaladaCorporativa – Serviços de coaching, aconselhamento e transição de carreira.

E se perderam a fé em você?

E se perderam a fé em você?

Conheça alguns sinais de que você está sem crédito com a sua equipe.

Você já deve ter visto por aí uma série de indicativos que te ajudam a saber quando seu estilo de gestão está dando bons resultados. Mas e quando o contrário acontece? Como identificar quando seus colaboradores começam a perder a fé na sua capacidade de liderar? Os fatores a seguir podem significar que você está desacreditado na empresa, que está fazendo algo (muito) errado. Preste atenção e, se notar algum dos fatores a seguir no comportamento da sua equipe, pode ser melhor dar uma revisada nos seus conceitos…

Fazem silêncio quando você entra na sala? Se todo mundo fica quieto quando você aparece, não quer dizer que estavam falando de você… Pode ser que tenham medo de dar alguma ideia ou opinião na sua frente. Será que você não tem agido com muita rigidez e sem dar valor aos pensamentos alheios? Isso pode reprimir seus colaboradores.

Todo mundo concorda com você? Se em momento nenhum os funcionários discordam do que você diz ou pelo menos tentam apresentar um outro ponto de vista, é porque existe um temor de como você reagiria a um pensamento diferente. Seja mais tolerável e incentive a pluralidade de ideias. Além disso, para cair fora dessa “política do medo”, tente suavizar seu discurso e seu comportamento. Simpatia faz bem.

Contratou ou pretende contratar um consultor de gestão? Ora, isso apenas confirma que você está tendo sérios problemas para gerir e tem algo dando errado.

As melhores pessoas da sua equipe foram embora? Quem é bom não fica muito tempo onde seus talentos estão sendo mal aproveitados e/ou recompensados. Sua forma de gestão pode estar fazendo funcionários talentosos se sentirem presos e impedidos de crescer, o que desperta neles a vontade de ir para outra empresa. Cuidado com isso.

Está dizendo aos outros como fazer seus trabalhos? Se você sabe tão mais que eles, então por que não faz tudo por si só? Você pode dizer o que quer, o que espera e até orientar sobre essa forma ser mais eficiente que aquela, mas deixe que cada um trabalhe do seu próprio jeito. Se alguém faz algo do modo que faz, é porque se sente melhor assim. Ninguém gosta de trabalhar em um lugar onde o gestor diz que tem que fazer do jeito X e ponto final.

Você tem que se desculpar demais? Se você se encontra o tempo todo tendo conversas para amenizar o clima e se desculpar por algo que tenha feito ou deixado de fazer que atrapalhou o trabalho da equipe, o problema não está nas inúmeras situações que fizeram você perder o controle, mas no seu comportamento.

E aí? Você sabe de mais dicas para identificar se sua gestão não está sendo satisfatória?

Para encontrar modelos de gestão eficientes e desenvolver melhor a sua liderança, que tal contar com o coaching? A Salada Corporativa pode ajudar você!

OLX: uma boa aliada para a sua empresa

OLX, uma boa aliada para a sua empresa

Saiba como a OLX pode beneficiar a sua empresa!

Quando se está começando a montar um novo ambiente de trabalho ou mesmo fazendo mudanças naquele que já é usado, é preciso tomar cuidado para respeitar a identidade da empresa e se manter dentro do orçamento. Mas qual seria a melhor forma de passar por essas mudanças sem estourar o caixa?

Planejamento é fundamental. Tenha em mente exatamente qual é o seu objetivo, o que você precisa para o seu espaço de trabalho. Considere praticidade, identificação com a marca, construção de valor… Tudo isso sofre impacto durante as mudanças. E como fazer tudo isso sem gastar mais que o esperado? Já pensou em vender o que não for mais utilizar? Assim você terá um dinheiro extra.

Nessa horas, assim como em muitas outras, a OLX pode ser a melhor aliada para você e a sua empresa. Se você precisa se desfazer daquela mesa de reunião que já não usa mais, desapega. Se está em busca de um sofá novinho em folha e com a cara da sua marca para a recepção, dê uma olhada e descubra se tem alguém se desapegando de algum que lhe sirva! A OLX é a maior página virtual de classificados do mundo e a preferida aqui no Brasil. Seu ideal é proporcionar uma solução simples, rápida, eficaz e segura para a compra e venda de produtos e serviços, independente de lugar: são 96 países de 40 idiomas diferentes usando a OLX.

A OLX é o lugar onde compradores encontram vendedores e vice-versa.  Precisa dar aquela ajuda no orçamento? Encontrar um bom produto por um preço camarada? Acesse o site oficial da OLX e descubra como ela pode ajudar a sua empresa: www.olx.com.br

Você já usou a OLX alguma vez antes? Vale a pena experimentar. Desapega! E depois corre aqui para contar como foi a sua experiência.

*Post patrocinado pela OLX.

Em busca do candidato ideal

Em busca do candidato ideal

Paulo Vasconcelos, sócio-proprietário da Hiria, uma das empresas que utiliza as soluções da Catho.

Tanto nas grandes corporações quanto nas empresas de pequeno e médio porte, atrair e reter talentos é sempre um desafio. Encontrar os candidatos perfeitos para as vagas abertas é uma dificuldade tanto para marcas que têm departamentos de RH fortemente estruturados, quanto para empreendedores que gerenciam pessoalmente seu time de funcionários. Mas afinal, você sabe contratar pessoas?

Um emprego é, hoje, muito mais que uma simples fonte de renda. É uma troca de conhecimentos e experiências com colegas, chefes, subordinados e todos os envolvidos no trabalho que se faz. Esta troca mantém todos motivados e ajuda a empresa e seus colaboradores a se desenvolverem, sendo uma importante via para o sucesso e a realização profissional.

No entanto, para que a empresa construa uma equipe de sucesso, é importante que contrate os profissionais ideais. Pensando nisso, a Catho criou soluções de recrutamento que vão ser poderosas aliadas neste processo.

Em pesquisa realizada no ano passado a Catho constatou que mais de 50% dos profissionais brasileiros utilizam sites de vagas quando buscam novas colocações no mercado. Isso significa que a internet tem grande importância nesse processo. Com um banco de mais de 7 milhões de currículos cadastrados, a Catho é um excelente mural para anunciar vagas disponíveis.

Entre as ferramentas oferecidas pela Catho Empresas, vale citar a Triagem Automática, que oferece à empresa os currículos mais aderentes à vaga publicada, assim que é cadastrada. É possível até ver o grau de compatibilidade do candidato com a posição descrita seguindo critérios como cargo, pretensão salarial, idioma, região e experiência. O Encontro Perfeito é outro destaque: este serviço dá ao recrutador acesso ao banco de profissionais e permite que ele escolha minuciosamente o tipo de colaborador que está procurando, convidando-o a se candidatar a uma vaga.

Quem já usou o serviço aprovou. “O desafio é usar o pessoal e o virtual de forma equilibrada para alcançar os melhores resultados. É o que a Catho nos proporciona: de um lado dezenas de currículos selecionados entre milhões e do outro o nosso RH fazendo o contato olho no olho,” disse Paulo Vasconcelos, sócio-proprietário da empresa Hiria, que já utiliza as soluções da Catho.

Acesse e fique por dentro de mais detalhes.


Dia das Bruxas? Só se for com final feliz!

Dia das Bruxas? Só se for com final feliz!

Neste Halloween, fique longe das armadilhas do mundo corporativo!

Chegou o Dia das Bruxas! A data é geralmente bastante divertida e cheia de brincadeiras, doçuras e travessuras, mas é bom garantir que os sustos sejam apenas para rir, não para se esconder embaixo da cama com medo dos monstros do mercado. Se você é um empreendedor ou tem alguma posição de liderança na sua empresa, sabe colocar sal nas portas e janelas pode não ser o suficiente para manter os maus espíritos do lado de fora. Infelizmente, há quem não saiba disso e também pessoas que caem em armadilhas malignas que podem fazer queimar a poção mágica que você preparou com tanto empenho no caldeirão da sua empresa.

Se você não estava morando em uma caverna nos últimos meses, provavelmente está ciente dos maus lençóis em que se encontra a OGX, uma das maiores empresa do Brasil – e do mundo –, e que ontem ela deu entrada em um pedido de recuperação judicial. Pois é, até os gigantes podem tropeçar. Mas como garantir que a sua empresa não se encante por uma casa feita de doces no meio da floresta dos negócios e acabe sendo devorada por uma bruxa má?

Para começar, não seja ganancioso. Não é à toa que a vontade de lucrar sempre mais e mais e mais é constantemente o tropeção que se dá para que muitas histórias acabem mal. Dê mais valor às pessoas e experiências que ao lucro. Se houver bem estar e vontade de trabalhar, bons resultados financeiros serão uma recompensa que vai chegar. Por que devorar, com pressa, uma casa de doces se você pode, em seu devido tempo, construir uma fábrica de guloseimas?

Se o Grilo Falante te der algum conselho, ouça com atenção. Ah, você não é o Pinóquio? Não tem problema. Todos temos alguém – às vezes bem mais de uma pessoa – que sopra boas recomendações ao nosso ouvido. O capitão de um navio deve sempre prestar atenção ao que a tripulação tem a dizer, caso contrário, vocês podem encalhar. Acredite, seus tripulantes conhecem os fantasmas do navio tão bem quanto – às vezes até mais – você. E lembre-se que estão todos no mesmo barco: se um afundar, todos afundam.

Otimismo faz bem, mas foi o seu excesso que fez Chapeuzinho Vermelho não tomar cuidado na floresta e acabar dando de cara com o Lobo Mau. Conheça os riscos, oportunidades e saiba quando voltar para casa ou pedir a ajuda de alguém que já conheça a trilha que você está seguindo. Não é para ser pessimista, mas o otimismo deve sempre vir acompanhado de uma boa dose de realidade.

Você tem alguma dica para que as empresas comemorem o Dia das Bruxas com guloseimas e não tenham que passar por uma história de terror? Conte para a gente!

Como economizar no início do seu novo negócio

Começar uma empresa nem sempre é uma tarefa simples. Mesmo com uma boa ideia na cabeça, a execução e a passagem para a prática precisam de cuidados, principalmente na área financeira. Saber controlar os gastos e investimentos na fase inicial é fundamental para a vida útil de um novo negócio.

Como economizar no início do seu novo negócio

É preciso ter controle sobre os gastos da empresa.

A escolha do ambiente físico de trabalho é um dos pontos cruciais. Saber onde ficará seu escritório, qual o valor do investimento, taxas e outros gastos são coisas que devem ser postas no papel antes de qualquer decisão. Acompanhe algumas dicas de como sair desse momento importante sem prejudicar o novo empreendimento:

Localização

A localização vai dizer muita coisa sobre o seu negócio, especialmente para novos clientes. No entanto, como estamos lidando com um orçamento baixo, inicial, a dica aqui é não se importar tanto com esse pré-julgamento. Um imóvel em um bairro sem característica comercial ou com dimensões menores é bem mais barato, e ideal caso não seja um ramo em que você traga clientes para visitas.

Como economizar no início do seu novo negócio

Dividir ambientes de trabalho é uma solução funcional e agradável ao bolso.

Divisão de ambientes

Uma boa alternativa no início é dividir o ambiente com outra empresa. Algumas listas de imóveis em SP oferecem escritórios a serem divididos por várias empresas, ou seja, espaços maiores e salas amplas com uma recepção em comum. Essa pode ser uma saída econômica para o início de seu negócio.

Controle de gastos

– Escolhido o ambiente, é hora de pensar em gastar a menor quantia por mês. Coloque na conta mensal, além do aluguel, IPTU e outras taxas do escritório, os valores de manutenção e contas básicas como água, luz, telefone, Internet e etc.

– Procure organizar o escritório de maneira simples nesse período de start. Economize com mesas amplas para encaixar os funcionários, baias e deixe o luxo para quando as coisas já estiverem consolidadas.

– Se for investir em uma conferência ou feira de negócios para seu time, uma alternativa econômica é fretar um ônibus e, dependendo da duração do evento, até alugar uma casa por temporada para não gastar tanto com hospedagem em hotel.

– Se a sua equipe for maior que o espaço, adote o rodízio de home office para os colaboradores. Assim, você economiza na organização do ambiente e não deixa seu escritório apertado.

Como economizar no início do seu novo negócio

Rodízio de home office para colaboradores é uma boa saída para ambientes pequenos.

O início de uma empresa nunca é fácil. Adote essas dicas para seu primeiro escritório e pense sempre em alternativas para controlar os gastos.

*Conteúdo de responsabilidade total e irrestrita de Edison Katsumi Miyada Junior.

Os erros ao elaborar um plano de negócios

Os erros ao elaborar um plano de negócios

Descubra como evitar erros comuns na hora de criar um plano de negócios.

Para fazer uma empresa crescer, seja ela do tamanho que for, você precisa de um plano de negócios. Informações sobre o mercado de trabalho, finanças internas, produtos e serviços oferecidos, concorrentes, parceiros etc. Cada detalhe é importante. Mas é preciso tomar muito cuidado para não cometer alguns erros, muitos dos quais são mais comuns do que você pensa. A boa notícia é que é fácil prevenir.

Conheça os erros mais comuns e fique longe deles:

Não definir bem o negócio. A primeira coisa que você deve fazer ao elaborar um plano de negócios é ter conhecimento completo do que a empresa era, é e pretende ser. Público alvo, cartela de clientes, área de atuação, comportamento regional etc. Se a marca ainda está começando e você não sabe direito esses detalhes, vale a pena conversar com alguém que tenha mais tempo de estrada.

Deixar a emoção guiar. Sonhar é importante e você deve ter metas e objetivos sem medo de ousar, mas você precisa mantes os pés no chão. É perigoso se apegar ao seu ideal de empresa. Isso pode até satisfazer você por algum tempo, mas não necessariamente vai dar certo no mercado. Uma análise detalhada da realidade e das ações viáveis e rentáveis deve ser colocada no papel.

Ignorar a concorrência. Não adianta pensar que o público virá naturalmente para a sua marca se você colocar os preços um pouco menores. Você deve conhecer muito bem os seus concorrentes e, mais que oferecer preços mais em conta, apresentar produtos e serviços que sejam diferentes, inovadores. Aposte no seu diferencial.

Calcular errado. Sua empresa pode ser audaciosa, moderna e até experimental, mas é aconselhável que o caixa seja conservador. Antecipe prejuízos, faça as contas com exatidão e não cometa nenhum erro. Cada centavo é fundamental para manter o equilíbrio financeiro da marca.

Você já cometeu esses erros ou algum outro? Se sim, que dicas dá para evitar?

Para crescer mais rápido

Para crescer mais rápido

Fazer sua marca crescer não é fácil, mas existem alguns atalhos que podem impulsionar sua ascensão no mercado!

É bem difícil encontrar por aí um empresário que não pense grande. Seu sonho provavelmente não é abrir uma vendinha na esquina, mas ser dono de uma grande redes de supermercados, por exemplo. Mas começar um negócio e fazê-lo prosperar não é tarefa fácil – e o Brasil a situação se agrava por causa dos altos impostos e labirintos burocráticos.

Mesmo assim, quando você realmente ama o que faz e acredita no potencial dessa atividade, não há limites para sonhar e nem para crescer. Ainda que comece pequeno, existem alguns “atalhos” que ajudam a escalar o caminho do sucesso mais rapidamente. Confira algumas dicas para se aproximar mais e mais do lugar aonde você deseja chegar!

Fique de olhos bem abertos para oportunidades. Toda empresa, por mais que atue em um segmento bastante específico, pode ser maleável. Fique atento às tendências e saiba revertê-las para agregar valor a seus produtos e/ou serviços. Saber atingir novos nichos de mercado também é fundamental. Se você vir uma brecha que possa lhe levar ao sucesso, não hesite em entrar!

Conheça o inimigo. Não é à toa que os grandes empreendedores gostam de livros de grandes teóricos de guerras e dos ensinamentos de líderes como Mao Tsé-Tung. Saiba quem são seus concorrentes, o que eles têm de diferente e como você pode oferecer produtos e/ou serviços que atraiam mais o consumidor. Compreenda como eles interferem nas suas vendas e como reverter este quadro a seu favor.

Gerencie com sabedoria. Tenha objetivos bem determinados, mantenha o foco e faça um planejamento estratégico para alcançar – e superar! – suas metas. Busque formas de manter sua equipe sempre motivada e comprometida com o negócio. Saber ser um bom líder é de suma importância.

Seja antenado. É fundamental estar por dentro do que está fazendo sucesso no momento e prever o que vai estourar mais tarde. Mais que antecipar tendências, é preciso saber criá-las.

Dominando essas características, o sucesso vai bater na sua porta! E você? Tem mais dicas?

A gestão e seus desafios em diversos ambientes

Imagem: Christian Montenegro

Imagem: Christian Montenegro

O mercado de trabalho tem olhado cada vez mais para sua principal força motora: as pessoas que o integram. Assim sendo, gerir colaboradores passa a ir muito além de contratar e oferecer um bom pacote de benefícios, mas trabalhar de forma a manter todos sempre comprometidos e entusiasmados com a empresa.

Profissionais de todas as áreas têm demonstrado mais atração pela qualidade de vida que determinada vaga possa proporcionar que pelo salário em si. Começa-se a pensar se realmente vale a pena se submeter a um emprego sacrificante e de que não se gosta apenas para pagar as contas no fim do mês. A ideia hoje é alinhar ganhos financeiros e bem estar, de forma que a maior gratificação do trabalho seja um pacote de ânimo, motivação e orgulho do que se faz.

Cada empresa tem sua própria cultura e valores muito singulares, diferente de outras organizações, ainda que do mesmo ramo. Cabe aos gestores encontrar as melhores formas para captar e reter talentos que caminhem de mãos dadas com suas companhias.

Diversos fatores influenciam na hora de traçar uma estratégia que seja atraente para o corpo de funcionários. “Empresa pública, familiar ou privada? Pequeno, médio ou grande porte? Com ou sem fins lucrativos? Nacional ou multinacional? Modelo de gestão hierárquico ou mais participativo? Business to Business ou Business to Consumer?”, aponta Claudia Klein, social da Argumentare e chef do Salada Corporativa.

As particularidades de cada segmento implicam em suas próprias oportunidades e desafios. “Cada ambiente organizacional é único e pede atitudes, conhecimentos e habilidades diferentes”, explica Claudia.

Na sua empresa, qual é a melhor forma para atrair, gerenciar e manter talentos?

Lojas de departamento x vendas porta a porta: novo plano de vendas, antiga estratégia comercial

Haroldo Monteiro / Imagem: arquivo pessoal

Haroldo Monteiro / Imagem: arquivo pessoal

Haroldo Monteiro é formado em Administração de Empresas e Engenharia Econômica pela UERJ. Possui vasta experiência no mercado de varejo tendo atuado como executivo em várias empresas deste setor. MBA em Business Administration pela Ohio University, e sócio da Planning & Mangement, consultoria especializada em gestão e estudos de tendências econômicas para o varejo. É professor convidado do Coppead, onde ministra Administração Financeira de Curto Prazo.

 

 

Alguns executivos de varejo do Sul/Sudeste foram selecionados para dirigir uma grande varejista no Norte do país no início dos anos 2000. Desta forma, fui selecionado para este desafio. Chegando lá, no meu primeiro dia de trabalho me deparei com uma cena que não estava acostumado. Vários vendedores enfileirados, com um catálogo na mão, aguardando para entrar em vários micro-ônibus, que tinham em seu teto um enorme alto falante.

Fiquei curioso com o que tinha visto e procurei logo me informar do que se tratava. Ao iniciar meu período de ambientação com o diretor de RH, ele me explicou que se tratava da “venda externa”, um importante canal de vendas da empresa, que além de suas mais de 150 lojas físicas fazia também venda de porta a porta e que estas representavam aproximadamente 30% de todo o faturamento da empresa.

Passei então a notar micro-ônibus deste tipo em várias regiões do norte, de diferentes empresas. Pude perceber que se tratava de uma estratégia de vendas muito comum na região. Bem, venda porta a porta no Rio era muito comum com cosméticos da Avon, uma das pioneiras, e depois com a Natura. Vimos também a Hermes vendendo suas “miudezas gerais” em catálogos. Mas uma grande varejista de departamentos com lojas físicas, que vendia desde roupas a eletrodomésticos, móveis e colchão, eu nunca tinha visto, e ainda por cima sendo bem sucedida.

Por isso venho chamar atenção desta nova modalidade de vendas da Marisa, “A Venda Porta a Porta”, que vem colocar essa varejista a frente de suas concorrentes diretas.

Com a criação de mais este canal de vendas, abrem-se novas perspectivas de crescimento do faturamento e aumento do market share. Além das classes C e D, público-alvo da empresa, terem grande identificação com essa forma de vendas, é comum o cliente antecipar suas compras ou aumentar a vontade de consumir gerando uma compra por impulso. Também pude observar que o mix de produtos que constam no catálago são muito consumidos pelas mulheres na Venda Porta a Porta (lingerie, sandálias, biquínis…) o que considero um grande ponto a favor. O projeto piloto da Marisa inicia-se com maior peso nos estados do Centro-Oeste e Nordeste, onde essa modalidade já é bem comum.

Lembro-me que na minha época no Norte do país, a inadimplência nos cartões próprios da empresa na Venda Porta a Porta, era muito alta. Desta forma acredito que a opção da Marisa em iniciar as vendas com cartões de terceiros reduz assim o risco de inadimplência nesse momento. Porém deve ser observado quando a estratégia de pagamento venha a ser alterada.

A venda Multicanais vem ganhando importância nas grandes varejistas por todo o mundo, como forma de aumentar o faturamento e fortalecimento da marca.

*Originalmente publicado aqui.

Crise na empresa! E agora?

Imagem: Image Management

Imagem: Image Management

Sua empresa se envolveu em uma polêmica? Está na mira de impactos negativos para a imagem e o crescimento da companhia? Nada de entrar em pânico! Em situações de emergência, tal como na vida pessoal, a primeira coisa a ser feita no mundo corporativo é manter a própria calma e a dos demais. A partir daí é possível analisar os danos, riscos e tudo que pode e deve ser feito para resolver a questão da melhor forma possível.

Paralelamente, descubra quem está falando o quê. A mídia está cobrindo o caso? Clientes estão se manifestando nas redes sociais? Vizinhos da sede estão espalhando a notícia boca a boca? Para gerenciar uma crise, você precisa ter conhecimento sobre tudo que está sendo dito – e por quem. A comunicação é fundamental para a resolução de qualquer problema.

Para preservar a imagem e o desenvolvimento da empresa também é fundamental identificar se a crise causará algum impacto à comunidade. Pessoas serão afetadas? Residências e companhias vizinhas sofrerão com o problema? Saiba se haverá algum risco ou dano para a sociedade e como minimizar ao máximo.

Conheça os detalhes. Onde, quando, como, por que, com quem a crise começou? Seja direto e objetivo. Não adianta preparar desculpas para os chefes ou mascarar a verdade para a mídia e o público, pois isso não resolverá o problema. O importante é manter o foco e ir na direção da solução, sem dar voltas desnecessárias.

Contenha a crise. Determine rapidamente quem está envolvido e quem precisa ser. Reúna essas pessoas para decidir conjuntamente como superar esse obstáculo.

Alguém se feriu, seja física ou mentalmente? Algum produto foi perdido, serviço prejudicado?

Para encontrar a resolução, é preciso ter o problema todo detalhado e mapeado. Alinhe todos os aspectos da crise e trabalhe para resolvê-los de forma prática e rápida.

Você já teve envolvimento em alguma crise em sua empresa? Como lidou com isso?

TV Salada

No items
whatsapp for pc free xbox live codes free psn codes horoskopi ditor elliptical machine igrice