Receitas : SaladaCorporativa – Serviços de coaching, aconselhamento e transição de carreira.

Qual o seu conceito de trabalho?

A palavra “trabalho” tem sua origem na palavra latina “tripalium” – denominação de um instrumento de tortura utilizado para punir os escravos que não desempenhavam corretamente suas obrigações.A escravidão foi, por muito tempo, considerada como a forma natural e mais adequada de relação laboral, até chegar ao conceito que conhecemos hoje…

É fato que a forma como nos relacionamos com o trabalho tem sofrido grandes mudanças com o passar do tempo.  São muitos e diferentes os fatores que têm contribuído para essas alterações, como:

– A valorização do trabalho “imaterial”,
– O surgimento de novas profissões e o desaparecimento de outras, anteriormente valorizadas,
– Sua importância e impacto nas relações sociais e culturais,
– Os impactos das novas tecnologias,
– As novas formas de organização da produção,
– A flexibilização das relações de trabalho
– etc.

Diante de tantas mudanças, pergunto: qual o SEU conceito de trabalho? Essa é uma fascinante pergunta que precisamos saber responder, antes de mais nada, para nós mesmos.Quando não paramos para refletir sobre o que “trabalhar” realmente significa para nós, enfrentamos imensa dificuldade em reconhecer valor no que fazemos, em alcançar satisfação pessoal por meio do que fazemos.

Sabemos que a construção da nossa carreira está cada vez mais sob nossa responsabilidade e que a busca e a escolha dos sucessivos passos que compõem nossa trajetória profissional são iniciativas que devemos tomar, diante de um cenário de negócios complexo, dinâmico e diverso.

As inúmeras alternativas de profissões, ocupações, vínculos trabalhistas, formas de reconhecimento e recompensa, meios para execução das atividades etc. nos remetem à necessidade de repensar nosso conceito de trabalho e, também, aumentam a dificuldade de fazê-lo.

Para os profissionais que já entenderam as novas regras desse jogo, esse é um “instigante” problema. Para os que ainda acreditam que não devem começar a jogá-lo, representa um problema “insolúvel”. Para esses, os outros são sempre os culpados por não serem reconhecidos e por não estarem satisfeitos por trabalharem com aquilo que não se orgulham.

Para começar a jogar, o primeiro passo é construir suas respostas para perguntas como: Por que você trabalha? Que tipos de atividade o motivam? Quais papéis você gostaria de desempenhar? Que quantidade de horas você desejaria dedicar ao trabalho remunerado? E ao não remunerado? Que legado a continuidade dessa atuação vai te permitir deixar? Como o faz sentir? Que obstáculos percebe?

Lógico que é muito difícil gerenciarmos nossa relação com o trabalho, principalmente porque são muitas as variáveis envolvidas e, muitas delas, não estão sob nossa gestão. Porém, tomarmos as rédeas desse processo é o caminho menos doloroso para endereçar a questão.

O coaching pode ajudar. Por meio desse processo, aprendemos a nos colocar à frente das nossas escolhas, a refletir como estamos agindo, como estamos sendo percebidos pelo outro, o que buscamos, nossa visão de futuro, quais comportamentos desejamos mudar e como nos beneficiamos com essa mudança. Aprendemos a conjugar nossa vida profissional na primeira pessoa.

A definição de trabalho vai continuar sofrendo mudanças, mas é fato que essa atividade com o significado que atribuímos a ela, sempre vai desempenhar um importante papel nas nossas vidas.

Aproveitando o dia de hoje, convido-o a refletir sobre a importância do trabalho na sua vida e sobre o seu conceito de trabalho…

Boa reflexão!

Pensar estrategicamente: o que isso significa?

Maria Ribeiro

Maria Ribeiro tem experiência em treinamento em desenvolvimento, com atuação em empresas no Brasil e no exterior, principalmente na indústria de óleo e gás. É formada em Pedagogia pela UFF, com mestrado em Educação e Tecnologia pela UFRJ. Terminou recentemente um MBA em Administração pela Robert Kennedy College.

 

 

Imagem: Maxres Defeault

O pensamento estratégico, para Maria Ribeiro, é enxergar além.

O que significa estratégia? Bom, podemos enumerar todos os conceitos, seguindo os gurus, falando dos célebres nomes que temos no mercado, como Porter, Kaplan e Norton, Burgelman, dentre outros conhecidos. Mas, prefiro usar a metáfora da caixa. Isso mesmo, conceituar estratégia com a simples ação de sair da caixinha, pode até ser uma preta, depois explico o porquê. Estratégia é moldar o futuro, ir além, pensar lá na frente. Alguns autores apostam no lado mais criativo do conceito, outros em planejamento e também em um aspecto analítico. Contudo, o importante é chegar a um equilibro. Pode-se ter a mistura dos três, considerando que se quer um bom resultado final. Mas como fazer isso?

Temos ferramentas, métodos e metodologias que podem nos ajudar a traçar, montar uma estratégia. É preciso antes se perguntar: onde quero chegar? Ao escolher, definir uma é preciso pensar nos desafios do mercado e do momento, nos riscos e no que se quer atingir em um determinado tempo. Lembremos sempre que o mercado é dinâmico, que as situações mudam, que temos “os picos e os vales”, que nada na vida é para sempre. Então, preste sempre atenção ao que está acontecendo ao seu redor, perceba os movimentos internos e externos, como estão as relações com os clientes e os fornecedores, quais são as novidades do mercado e o que está acontecendo na sua área de negócios. Dará um bom indício de como as coisas andam – se estão bem ou nem tanto assim.

A estratégia pode resolver tudo? Talvez sim, talvez não, mas ela pode mostrar o caminho, dar indícios e promover uma revisão e uma análise real da situação. Pode dar os passos para uma mudança futura, para uma oportunidade e abrir portas para uma nova relação interna ou externa com um cliente, um novo ar ao contexto do negócio e novas chances de crescimento. O caminho é olhar a situação com calma, falar sobre ela com outras pessoas (às vezes ajuda se ela for de fora do contexto, um olhar diferente), pesquisar sobre o mercado, olhar organogramas, rever índices e aprender sobre eles, conhecer as pessoas que estão envolvidas, estudar o conteúdo da mudança que se quer promover.

Para terminar, preciso explicar a tal da caixa. Estar na caixa preta significa estar completamente no escuro, sem ter qualquer perspectiva de mudança, não enxergar nem um palmo na frente do nariz. E, quando se sai da caixa e se vê a luz, imediatamente se fica cego, perdido. Óbvio? Para algumas pessoas, sim. Para outras, não. Então, pensar estrategicamente significa pensar além da luz que cega, entender que uma coisa leva a outra, que tudo está relacionado e que as grandes oportunidades aparecem nestes momentos de planejamento, questionamento e análise. Podemos incluir nos momentos de mudança, de risco também. Saia da caixinha e promova as mudanças que gostaria de alcançar e mesmo aquelas que são necessárias para sobrevivermos ao momento que o mercado se encontra.

O valor do posicionamento

Imagem: Voofoo Studios

Sua forma de se posicionar perante a carreira e o mundo faz toda a diferença!

Em tempos prósperos ou tempestuosos na sua carreira, a forma como você se posiciona perante o mundo e o mercado faz toda a diferença. Como é, então, que você se posiciona?

Pode até parecer uma questão simples, mas acredite: descobrir, definir, construir e manter um posicionamento é uma tarefa complexa e que dá trabalho. É com esse questionamento que se deparam constantemente muitos de nossos clientes.

É difícil? Sim.

É impossível? Não.

A primeira etapa é conhecer muito bem os seus valores. São eles que guiam suas atitudes, determinam seu propósito e, portanto, têm impacto direto no seu posicionamento.

Depois, é fundamental compreender o ambiente do qual você faz parte. Seu posicionamento é, afinal, a sua forma de enxergar e reagir ao mundo. E, para isso, é preciso entender este mundo.

Agora que você conhece seus valores e o ambiente ao seu redor, como você pode reagir às mais variadas situações de maneira ágil e em concordância com aquilo que rege a sua vida? Seu posicionamento é analítico? É voltado para ação efetiva? Caótico? A resposta certa é aquela que fizer mais sentido para você.

Então se para mim faz mais sentido analisar cautelosamente cada variável de um problema antes de tomar uma decisão sobre como resolvê-lo, é assim que devo me comportar perante qualquer situação? Na maioria delas, sim. Afinal, é dessa forma que você funciona melhor. Mas isso não está gravado a fogo e ferro. Situações diferentes exigem posicionamentos diferentes. É possível adaptar sua forma de pensar e agir para que ela se encaixe melhor ao contexto no qual você está inserido e isso não precisa alterar drasticamente seu posicionamento. É como um prato que pode se transformar dependendo do tempero usado, mas sem perder a sua essência.

E aí? Qual é o seu posicionamento perante a sua carreira? Conte para a gente! E se precisar daquela forcinha para se conhecer melhor e entender mais a fundo o seu ambiente de atuação, pode contar com nossa equipe de coaches! É só falar conosco.

Quando falta equilíbrio

Imagem: Stella Tesori

Quais são os sinais de que a sua vida está desequilibrada?

Que é importante saber balancear a vida profissional com a pessoal você já sabe – ou pelo menos deveria. Afinal, os problemas de uma têm impacto negativo direto na outra, assim como fatores positivos podem fazer bem para os dois lados. Portanto, manter o equilíbrio faz bem para a saúde do corpo, da mente e da carreira. Ajuda você a se sentir feliz.

Mas e quando as coisas começam a sair dos trilhos e perder o controle? O ano ainda está no começo, mas já atendemos uma série de clientes que estão tendo dificuldade para conciliar casa e escritório, amigos e colegas, família e chefe.

Lidamos com pais que querem passar mais tempo em casa e acabam negligenciando algumas tarefas do trabalho; pessoas que estão crescendo na carreira, mas deixando de lado a família; outros que têm trocado os amigos por novos contatos profissionais…

Infelizmente, quando nos damos conta do desequilíbrio, o trem já está descarrilado. Então como evitar que isso aconteça? Há alguns sinais que indicam a falta de um balanceamento saudável. Em uma matéria do caderno Boa Chance, do jornal O Globo, que contou com colaboração de nossa chef Claudia Klein, ela aponta alguns sintomas. Percebendo algum deles, ligue o alerta e veja o que pode ser feito para voltar aos trilhos ou ajudar alguém que esteja perdendo o controle.

Vamos conhecer esses indícios?

Não tirar férias: deixar acumular, vender para a empresa ou não tirar o período completo.

Perder momentos sociais: faltar aniversários de amigos, almoços em família ou mesmo happy hours em prol de compromissos profissionais.

Conectividade exagerada: um profissional sempre conectado sentirá vontade de sempre responder a e-mails e mensagens, não importa quando ou onde esteja.

Não cuidar da saúde: deixar de lado a prática de exercícios físicos e não prestar atenção na alimentação, por exemplo, podem comprometer a saúde e o desenvolvimento profissional mais para a frente.

Noites mal dormidas: uma pessoa estressada com o trabalho, que não consiga se desligar dele, pode passar noites em claro, prejudicando tanto vida pessoal quanto carreira.

Falta de hobby: não ter curiosidade para aprender algo sem relação com o trabalho pode ser sinal de obsessão com a carreira.

Você percebe em você ou alguém próximo algum desses sinais? Se a resposta for positiva, é melhor prestar atenção e rever o planejamento de vida e carreira. Não há equilíbrio se um atropelar o outro.

Para descobrir as melhores formas de conciliar vida pessoal e profissional, conheça nossos serviços de coaching. É só entrar em contato para saber mais.

Precisando de um mentor?

Maria Ribeiro

Maria Ribeiro tem experiência em treinamento em desenvolvimento, com atuação em empresas no Brasil e no exterior, principalmente na indústria de óleo e gás. É formada em Pedagogia pela UFF, com mestrado em Educação e Tecnologia pela UFRJ. Terminou recentemente um MBA em Administração pela Robert Kennedy College.

 

 

Um mentor pode fazer bem para a sua carreira.

Existem momentos na vida que tudo parece virar de pernas para o ar. Digo isto também em relação à vida profissional. Algumas vezes você já pensou em mudar tudo e tomar outro rumo ou então largar tudo e tentar o que realmente quer? Já experimentou fazer isso alguma vez na vida sem ter medo de errar?

Por que nestes momentos, de grandes viradas, nos sentimos tão sozinhos? Acho que nos sentimos assim, sozinhos, perdidos, sem saber que rumo tomar e ainda com a vontade de resolver rápido. Toda esta angustia pode ser amenizada com a ajuda ou os conselhos de alguém, claro que não pode ser a mãe ou uma amiga próxima, que logo pegará você no colo e dirá aquilo que você quer ouvir. Mas, aquilo que você quer ouvir é o melhor caminho?

Pensando assim, encontrei nas minhas leituras, alguns textos e reportagens sobre a importância de ser ter um mentor. Geralmente, pensamos que este personagem entra apenas na vida dos grandes executivos, na sala do alto escalão das empresas. Engana-se você, porque eles podem ajudar a qualquer mortal que procura resolver suas angustias e também a encontrar um caminho, conquistar os objetivos.

O mentor pode ajudar a definir onde você quer chegar; entender ou sair de uma situação; definir que caminhos percorrer; tomar decisões; buscar novas oportunidades; aumentar sua rede de contatos. E, dar o suporte necessário naquele momento de crise, onde você não suporta mais o chefe e precisa mudar de emprego para respirar, ou melhor, para buscar e ter outras oportunidades. Enfim, sair do limbo e seguir a vida.

Alguém já se sentiu paralizado na frente de uma situacão? Algemado a um determinado trabalho? Preso a determinada tarefa, mas louco para fugir dela? Se você respondeu sim para todas as perguntas, corra e ache logo um mentor para te ajudar. Precisa de um para ontem!

Quem pode ser seu mentor?

Volto a questão familiar, nada de parentes. Eles ajudam a dar colo, mas não a tomar decisões, o que é bom na visão deles, talvez não seja para sua carreira. Pode ajudar, mas também atrapalhar. E eles também não entendem de todas as áreas de negócios. Eles ajudam na vida pessoal. Na vida profissional, tente encontrar alguém da área. Opinião pessoal.

Por falar em alguém da área, por que não escolher alguém com quem já trabalhou, teve uma boa experiência e confia? Experiência na área não pode faltar, confiança também não, porque você falará coisas da vida profissional que podem em determinado momento bater no lado pessoal. Precisamos separar estas duas áreas, mas em alguns momentos não dá, elas se juntam, se confundem.

Quem você admira? As boas relações são construídas pela admiração. Você nunca pensou em um dia ser igual ao fulano? Algum profissional já marcou sua vida? Foi seu exemplo? Quando me perguntei se era hora de ter um, não tive dúvidas do nome. Fica a dica.

A maioria quer trocar de emprego… E você?

Dizem que o ano só começa depois do Carnaval. Você concorda? De qualquer forma, o Carnaval acabou e já passou da hora de você pôr em prática ações assertivas para alcançar os seus objetivos para este ano. Quais são eles?

Realizamos uma pesquisa com nossos leitores e nela pudemos notar que os quatro maiores desejos profissionais para serem realizados em 2015 são procurar um novo emprego (26%), empreender (18%), aumento de salário (17%) e melhorar o desempenho (15%). Mais de 1/4 dos participantes da enquete demonstram insatisfação com o emprego atual e, consequentemente, a vontade de buscar um novo.

O que pode levar a isso? Seja pelo ambiente, por questões financeiras ou mesmo decepção com a área de atuação, chega um momento em que permanecer no mesmo emprego se torna insuportável e uma mudança se faz necessária.

Esse é um dos maiores impulsos que levam nossos clientes a buscar o nosso apoio. O trabalho ocupa cerca de 1/3 de nossas vidas e, por isso, não pode nem deve ser algo chato. Muito pelo contrário, é preciso encontrar prazer no que faz, ter senso de realização. Acumulamos uma boa experiência no assunto e por isso vamos dividir com você algumas dicas valiosas.

A primeira medida que você deve tomar é olhar para dentro de si. O autoconhecimento é a chave que vai abrir novas portas para você, te ajudando a enxergar novas possibilidades e conhecendo bem seus talentos, habilidades e até mesmo as suas limitações, aquelas características nas quais você precisa trabalhar para desenvolver melhor.

Em seguida, pense no seu sonho. Qual é? O que você precisa alcançar na vida para se sentir uma pessoa realizada? O que falta?

Agora, avalie seus valores. Eles norteiam a sua vida, são a sua bússola moral e guiam seu comportamento e atitudes. Tudo que fazemos é inconscientemente uma tentativa de satisfazer nossos valores. Conhecendo-os bem, você saberá que caminhos seguir para realizar o seu sonho de carreira.

Já tem isso tudo em mente? Ótimo! Hora de passar para o papel. Estruture um plano de carreira detalhado, com diversas possibilidades para atingir seus objetivos. Quais empresas lhe atraem? Por quê? Os valores delas são compatíveis com os seus? A forma de atuação combina com a sua personalidade? Há possibilidade de crescimento? Gere questões, pergunte, pesquise, gere novas questões e responda a todas. Assim você saberá minuciosamente o que deve fazer.

O próximo passo? Tirar do papel. Transforme seus planos em ações! Afinal, só assim será possível alcançar as mudanças que você quer.

Claro, falar é muito mais fácil do que pôr em prática. Para isso você pode contar com o apoio da nossa equipe de coaches, que está preparada para te atender com dedicação e de forma personalizada. Fale conosco e saiba como podemos te dar o impulso que você precisa!

Para 2015, qual seu principal desejo profissional?

  • Procurar um novo emprego (27%)
  • Empreender (18%)
  • Aumento de salário (17%)
  • Melhorar meu desempenho (15%)
  • Desenvolver habilidades de liderança (10%)
  • Voltar a estudar (7%)
  • Participar de treinamentos (2%)
  • Trocar de chefe (2%)
  • Desfrutar de todos os dias de férias (2%)
  • Interagir mais com colegas de trabalho (0%)

Muito obrigada! Já recebemos o seu voto.

Loading ... Loading ...

Seus valores, suas direções

Imagem: Wallpaper Sin HQ

Seus valores funcionam como uma bússola para o seu comportamento.

O carnaval está aí.

Para uns, é tempo de cair na folia. Curtir festas, pular em blocos e assistir aos desfiles lançando confetes e serpentinas ao ar para celebrar e se divertir.

Há quem prefira usar esse período para descansar, renovar as energias e se preparar para retomar a rotina com todo o gás, garantindo qualidade e produtividade no trabalho.

De uma forma ou de outra, o momento oferece uma oportunidade de reflexão. Seja para a sua vida pessoal, seja para a sua carreira… Quais são os seus valores? Que impulsos morais norteiam o seu comportamento tanto na folia quanto no escritório?

Questionamento comum entre nossos clientes é até que ponto nossos valores devem guiar a nossa vida, o nosso jeito de ser. O que você acha? Valores devem ser satisfeitos ou suprimidos? Você se sente bem vivendo os valores de outras pessoas em vez dos seus?

Um valor é uma bússola e ir na direção oposta não parece a coisa certa a fazer… Pode te distanciar da sua felicidade. É com base nos seus valores que você estrutura o caminho que seguirá para realizar o seu sonho. Seus valores determinam como você vai aproveitar o carnaval e também como voltará à rotina depois.

E aí? Quais são os seus valores e como eles te norteiam? Para saber como podemos ajudar você a usar seus valores para se desenvolver, conheça nossos serviços. É só falar conosco.

Aproveite o início do ano para turbinar a sua carreira

O ano recém começou e esse é um ótimo momento para você pensar no seu desenvolvimento profissional. O que você realmente gosta? Em que é bom? Quais são seus talentos e habilidades?

No Insper alunos e alumni têm acesso ao Núcleo de Carreiras, área focada no desenvolvimento profissional e fortalecimento de redes de relacionamento. Exemplo disso é o Painel de Oportunidades Profissionais (POP), uma ferramenta de busca de vagas que abre portas para o mercado de trabalho em diversos segmentos e níveis de carreira. São mais de 4 mil empresas parceiras oferecendo oportunidades. Apenas em 2014 foram mais de 12 mil vagas divulgadas.

Imagem: divulgação

Confira essas e outras informações no infográfico Oportunidades de Carreira.

O que você fez?

Imagem: Adobe

O que você alcançou até agora?

Pare e pense por alguns minutos… Qual é o seu sonho e o que você já fez para alcançá-lo?

Nenhum sonho se realiza sem muito trabalho e dedicação. A felicidade não cai do céu: é preciso conquistá-la. E para transformar um sonho em realidade não basta mirar exclusivamente nele. Há uma série de variáveis que impactam a sua jornada – para o bem ou para o mal. É com esse conflito que muitos de nossos clientes têm se deparado, especialmente nessa época. O começo de um novo ano é um tempo de reflexão, de pensar no que já foi alcançado e até onde se quer chegar.

A vida tem muitos lados e a realização de um sonho, ainda que tenha foco neste ou naquele, reflete em todos os outros. Por isso, é fundamental encontrar – ou construir – o equilíbrio. Família, amigos, carreira, hobbies, saúde… Se uma das áreas da sua vida vai mal, as outras também vão cambalear. Manter tudo em bom funcionamento traz excelentes resultados e gera satisfação, confiança, felicidade. Mas é um malabarismo diário e não é nada fácil.

O trabalho é uma grande e importante parte da sua vida. Uma pessoa passa em média um terço de seus dias trabalhando. Então nada mais justo que se fazer algo que dê alegria, orgulho e uma sensação de estar fazendo a diferença no mundo. Mais ainda, o trabalho pode – e deve! – ser um degrau para você chegar mais perto do seu sonho.

Já que é um pilar tão importante da vida, use o trabalho como uma forma de encontrar satisfação pessoal e conseguir impulso para alcançar os seus objetivos.

O que você tem feito para realizar o seu sonho?

Se você sente que não tem feito o suficiente, não está explorando todo o seu potencial e acredita que pode ir além de onde está, pode ser o momento certo de conhecer um de nossos coaches e agendar a sua sessão inicial. Conheça nossos serviços de coaching! Para saber mais, é só entrar em contato.

Você é aquilo que publica

Imagem: Step by Step

O que você posta e compartilha em suas redes sociais pode refletir na carreira.

O que você tem publicado ultimamente? Não precisa ser um livro ou artigo científico que vai mudar nossa forma de encarar o mundo, mas um texto sobre seu trabalho em um blog ou mesmo uma atualização de status em alguma rede social são importantes.

Manter um canal de comunicação direto com seus colegas, gestores, clientes, parceiros etc. é uma oportunidade para construir e manter a imagem que você deseja passar para o mercado. É o desenvolvimento da sua marca e, para que ela seja conhecida – e admirada! – é preciso fazer um trabalho de marketing.

Há muitas formas para isso e uma das mais simples e acessíveis é selecionar o que você vai publicar. Isso pode parecer óbvio quando se trata, por exemplo, do LinkedIn. Esta é, afinal, uma plataforma para networking. Mas e o Facebook? Tudo bem postar vídeos de gatinhos no seu mural, mas compartilhar conteúdo referente ao seu trabalho e fazendo seus comentários a respeito pode fazer toda a diferença, uma vez que reitera seus talentos e habilidades.

Não é porque se está fora do LinkedIn que oportunidades não possam surgir. Quem sabe aquele amigo de um amigo que você conheceu recentemente e adicionou em uma rede pessoal não possa fazer alguma contribuição para a sua carreira?

Todo conteúdo que você publica ou compartilha reflete um pouco da sua personalidade, dos seus sonhos e ambições, seus medos, suas competências, seus interesses… E no mercado de trabalho isso tem tanto valor quanto na vida pessoal.

E aí? O que você anda publicando?

Para refletir melhor sobre a questão e saber como desenvolver a sua marca pessoal de forma efetiva, é importante se conhecer bem e traçar um planejamento de carreira. Para isso, conte com nosso time de coaches! Fale conosco e saiba como podemos ajudar.

TV Salada

No items
whatsapp for pc free xbox live codes free psn codes horoskopi ditor elliptical machine igrice